Notícias SINDAEMA

07 de novembro de 2017 às 11h46

Em Colatina, Sindaema cobra fim à impunidade à Samarco

O presidente do Sindaema Fábio Giori e os diretores Antônio Casemiro e Evani Fonseca estiveram em Colatina neste sábado, 04, para participar do 3º Manifesto pelo Rio Doce, onde mais de 20 entidades, com o lema “Somos Todos Atingidos”, protestaram contra a impunidade da Samarco e pedir mais consciência ambiental dos governos, empresas e da sociedade.

 

Fábio ressaltou que as populações atingidas ainda sofrem com os impactos da lama tóxica. Ele discursou também sobre a questão da falta de rigor das autoridades com o crime cometido pela empresa. “Além do ponto de vista civil, a impunidade à Samarco também se insere no ponto de vista criminal. A Samarco tinha total ciência de que a barragem podia se romper a qualquer momento e, mesmo assim, não fizeram nada para impedir a tragédia e tampouco compensou devidamente as vítimas”.

 

O presidente do sindicato também alertou os presentes no Manifesto sobre uma Medida Provisória do Governo Michel Temer que transformaria a Agência Nacional das Águas em uma instituição reguladora e fiscalizadora do saneamento básico. “É uma forma de criar uma falsa impressão de que vai haver controle social e mascarar a intenção de privatizar o saneamento”.

 

Por fim, Fábio convocou as entidades presentes e a população de Colatina a participarem das atividades do Comitê Capixaba do Fórum Alternativo Mundial da Água.

 

O diretor Evani Fonseca acredita que o movimento foi importante para relembrar os capixabas sobre as dificuldades as quais os atingidos ainda convivem. “O evento foi bastante positivo, pois a população colatinense aderiu ao movimento e fez sua voz ser ouvida por todo o Espírito Santo. O que aconteceu com as comunidades ribeirinhas, com os colatinenses e com o próprio Rio Doce não pode cair no esquecimento”.

 

Já Casemiro reiterou os impactos que a lama tóxica pode trazer para as gerações futuras. “Foi impactante ver nos rostos das pessoas e das crianças a tristeza e a indignação com a impunidade da Samarco. Ainda tem a preocupação com o futuro das próximas gerações. As consequências podem ser drásticas, pois doenças como câncer e problemas no rim deverão ser frequentes, por conta dos poluentes que estão sendo ingeridos”.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O SINDAEMA


O Sindicato dos Trabalhadores em Àgua, Esgoto e Meio Ambiente do Espírito Santo completou 50 anos de história em 2013. Possui cerca de 2 mil associados – são trabalhadores da Cesan e dos Saaes, Serviços Municipais de Água e Esgoto. Sua sede está localizada no Bairro do Moscoso, em Vitória.