Notícias SINDAEMA

04 de maio de 2018 às 14h43

Supremo nega pedido contra propaganda em favor da reforma da Previdência

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou seguimento a uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra o uso de crédito suplementar de R$ 99,3 milhões para pagar propagandas em favor da reforma da Previdência preparadas pela Presidência da República.

A ADI 5863, apresentada pela Procuradora-Geral da República Raquel Dodge, alega que as propagandas do governo pela proposta contrariam os limites da publicidade institucional estabelecidos pela Constituição Federal – que determina que as peças publicitárias devem ser voltadas para a informação, educação e orientação social.

Marco Aurélio entendeu que não cabe ao STF analisar as propagandas e identificar se elas seguem os princípios estabelecidos pela Constituição por meio de uma ADI.

No pedido, a PGR sustentou que o governo não poderia ter utilizado o dinheiro para custear uma propaganda em “campanha estratégica de convencimento público” em que não se dê espaço para opiniões divergentes.

“É inadmissível, assim, a utilização de verba pública para veiculação de propaganda que não explicita de maneira clara e transparente a totalidade dos dados pertinentes ao tema sobre o qual o governo entendeu por bem que a população debruçasse”, destaca a ADI. (com informações: O Globo)

Leia também:
Governo vai deflagrar nova campanha pró-reforma da Previdência

 

Via FNU

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O SINDAEMA


O Sindicato dos Trabalhadores em Àgua, Esgoto e Meio Ambiente do Espírito Santo completou 50 anos de história em 2013. Possui cerca de 2 mil associados – são trabalhadores da Cesan e dos Saaes, Serviços Municipais de Água e Esgoto. Sua sede está localizada no Bairro do Moscoso, em Vitória.