2020: um ano de adaptação

O ano de 2020 impôs muitos desafios para a sociedade e, para o Sindaema, não foi diferente.

Enfrentamos uma pandemia, que trouxe uma série de restrições a nossa atuação, mas com muita dedicação e força de vontade, chegamos ao fim de 2020 com algumas vitórias, ainda que parciais, mas muito importantes, principalmente levando em consideração o momento vivido.

Enfrentamos o adiamento de data-base de alguns acordos coletivos, devido à restrição de reuniões no início da pandemia, mas que, aos poucos, foi sendo resolvido com a introdução de reuniões e assembleias online.

Foram quatro acordos coletivos negociados ao mesmo tempo, além do acordo com os funcionários do Sindaema: BRK, Tubomills, Enorsul e Cesan. Conseguimos bons resultados, apesar da pandemia e do cenário de demissões e de redução de jornada e renda.

Todos os acordos citados recompuseram a inflação ou foram acima das perdas do período e, na maioria dos casos, foram mantidos os direitos conquistados.

O caso da Cesan foi o mais difícil e desafiador, pois ao longo do processo de negociação, foi proposta a retirada da escala 4×4, e esse fato se sobrepôs a todas as negociações, assombrando centenas de trabalhadores.

De forma estratégica, o Sindaema fez a defesa da escala e, ao final, a jornada foi mantida, até a decisão do STF, que terá impactos decisivos na manutenção da escala.

Logo em seguida, veio a retirada da cláusula 24 do Acordo Coletivo e, com ela, o dissídio coletivo. O fim do dispositivo abriria espaço para a terceirização da atividade fim da Cesan.

Diante dos riscos, foi conquistada a garantia do emprego para os impactados pela exclusão da cláusula e assegurada a manutenção de todos os outros benefícios que poderiam ser perdidos em caso de dissídio.

Já com as autarquias municipais, não foi possível negociar reajuste, pois em virtude da pandemia, foi editada uma norma legal impedindo a concessão da recomposição salarial.

Também em 2020 fizemos um acordo no processo 574 de 1990, para que os trabalhadores pudessem, finalmente, receber seus direitos. Foi um trabalho árduo, em busca de trabalhadores aposentados, falecidos e familiares.

Mais de 100 trabalhadores foram beneficiados em um processo de quase R$ 15 milhões e que ganhou destaque na página do TRT-ES. https://www.trtes.jus.br/principal/comunicacao/noticias/conteudo/3634-100-trabalhadores-sao-beneficiados-com-acordo-no-trt-es

Foram juntadas mais de 1000 páginas dos mais variados documentos, em um grande esforço realizado pelos diretores liberados do Sindaema e funcionários, para concluir este, que foi um dos maiores, senão o maior acordo judicial já realizado por esta entidade.

Nas reuniões e assembleias realizadas no modo online por conta da pandemia, atingimos o pico de quase 600 pessoas participando, o que mostra que esse modelo poderá ser adotado no futuro, por seu formato democrático, que permite o envolvimento de uma maior parcela dos interessados.

Tudo isso sem falar do novo Marco do Saneamento, que foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro em 15 de julho, transformando a água em mercadoria com a venda das empresas públicas para o setor privado.

Continuamos a cobrar das empresas que disponibilizem itens de proteção aos trabalhadores para evitar a contaminação pelo coronavírus, que infelizmente já matou milhares de pessoas no mundo, tendo acometido também nossos colegas de trabalho.

Enfim, 2020 foi o ano da adaptação e iremos torcer e trabalhar para que 2021 seja o ano da superação. Que possamos vencer todos os desafios impostos no ano que vai chegar para fazer um 2021 mais humano e com grandes realizações.

Agradecemos a todos que participaram das nossas assembleias, enviaram mensagens por WhatsApp, por meio das nossas redes sociais ou telefonaram interessados nas atividades do Sindaema.

O sindicato só existe por causa de vocês!

CONVÊNIOS